Sistema FIEB | SESI

Quer Ajuda?

Quem é você?

Seta Quer Ajuda Seta Quer Ajuda

Qual seu interesse?

Seta Quer Ajuda Seta Quer Ajuda

Qual sua necessidade?

/

programação

Escolha entre varanda, teatro ou especiais e veja a programação completa.
VERÃO PRETA BRASILEIRA com Juliana Ribeiro
Quinta-Feira | 14/02
21:30
DESCRIÇÃO
Classificação indicativa:
Valor: Couvert R$30,00

Das partituras para o palco, a poesia vira som e cena teatral no novo show da cantora e compositora Juliana Ribeiro, intitulado “Preta Brasileira”. A idéia é ilustrar as vivências das ‘Pretas Brasileiras’ pelo mundo a fora através da canção. No espetáculo, três linguagens estão reunidas e culminam numa experiência multi-artística que agrega teatro, poesia e dança dentro da canção como formas de expressão do feminino em sua totalidade.  O show lançado em 2015, passou por diversos palcos do Brasil e do mundo, dentre os quais o Clef Club of Jazz , na Filadelfia –EUA, Parque da Cidade de Salvador, Teatro Vila Velha, Caixa Cultural Brasília e de Curitiba, Caixa Cultural de Salvador, Teatro João Gilberto em Juazeiro, Feira Literária de Cachoeira (FLICA), Caravana Disney /ESPN no Rio de Janeiro, e para os quatro shows da temporada de verão no Pelourinho, Juliana, trouxe como convidadas as Pretas Brasileiras: Dhy Ribeiro (Brasília), a cantora do Ilê Aiye Iracema Kiliane e o artista Gerônimo Santana.

 

A  canção “Preta Brasileira”, nasceu depois da artista participar do filme “ Go Go Brazil” a convite do cineasta americano Spike Lee. Após as filmagens, Juliana ficou muito impressionada com a abordagem racial do diretor e a composição veio num sonho. Do mundo onírico para o mundo real, a letra aborda a miscigenação racial e as inúmeras denominações – muitas vezes racistas- para os tons de pele do brasileiro. A letra é irreverente e fala da mulher negra contemporânea, inspirada na própria vivência da compositora. “A ideia é abordar temas cotidianos passados pelas mulheres como o racismo, machismo sem perder o jogo de cintura. As personagens brotam de dentro das  canções justamente para trazer irreverência a questões tão polêmicas! ”, adianta Juliana.

 

Uma homenagem a “Mulher do Fim do Mundo”, Elza Soares marca este espetáculo através da canção “Maria da Vila Matilde”  que aborda o empoderamento feminino e o fim do ciclo da violência através da ligação para o ‘180’. Com direção artística da própria cantora, ‘Preta Brasileira’ traz duetos cênicos entre a artista e o diretor / ator Diogo Lopes Filho, além dos parceiros poéticos Vinicius de Moraes, Paulo Leminski e Cecília Meirelles criando um espetáculo multi-artístico, dançante e divertido aos sentidos.

 

No repertório, Juliana lança mais três canções inéditas, além da homônima ao show. São elas “Canto de Olorum” (uma homenagem a Deusa das Águas, Oxum) de Gerônimo Santana, “Cantador do Sertão”, de Seu Reginaldo Souza, e “Rainha Ginga”, de Juliana em parceria com Lia Chaves , uma homenagem a eterna Clementina de Jesus. Em destaque no repertório uma nova roupagem para um clássico nacional: “Carcará” (João do Valle e José Cândido, 1964), que ganha textura arrojada, trazendo um discurso reflexivo da cantora contra a prostituição infantil no nordeste brasileiro.

 

O cenário fica por conta das projeções de Dexter, VJ reconhecido por fazer da projeção uma arte de intervenções urbanas. Juliana não estará sozinha no palco: mulheres com trajetórias brilhantes como  Clementina de Jesus,  Leci Brandão, Luiza Bairros, Nina Simone, Nair de Almeida (avó de Juliana), Carolina de Jesus,  estarão compondo o cenário através de projeções simultâneas cuidadosamente dirigidas, a fim de extrapolar o sentido da canção numa identificação imediata entre o público e  sua própria  história.

 

A pesquisa focada nas raízes do samba permanece norteando o trabalho de Juliana Ribeiro. Desta vez, ela traz para o palco ritmos ancestrais como vissungo (dialeto ainda falado no sudeste brasileiro),o côco de roda, o  maxixe, chamado pela artista de avô do samba. Zé Ketti, Paulinho da Viola, Sinhô, Roque Ferreira fazem parte do set list da artista.

 

Uma homenagem afetiva também marca a temporada da cantora. Neta de Herondino Joaquim Ribeiro, um dos 11 estivadores que fundaram o Afoxé Filhos de Gandhy em 1948, a cantora irá reverenciar os 68 anos de existência do grupo.

Os músicos Léo Jesus, André Tigana, Franklin Araujo, Dito Gomes e Sérgio Müller vão acompanhar a artista nessa odisseia poética e teatral, que tem direção musical de Marcos Bezerra.

 

Mais Juliana

 

Juliana Ribeiro é uma artista expoente no cenário da música brasileira. Dona de uma aplaudida performance de palco e admirada pela bela voz, Juliana também surpreende quando faz da música um veículo de divulgação da pesquisa como historiadora e mestre em Cultura e Sociedade, que desnuda as origens do samba. Por ela, a origem do samba é narrada através da própria música. Juliana apresenta um repertório que engloba três séculos de canção, (XIX à XXI) contando a história do samba através de ritmos diversos como o Lundu, o Jongo, o Maxixe, os Sembas Angolanos, o Batuque e os Sambas-de-Roda.

 

A carreira solo, iniciada em 2007, é marcada por apresentações em grandes palcos: Teatro Castro Alves, Concha Acústica, Teatro SESC , SESI, Gamboa Nova, Livraria Cultura – Eva Herz, Teatro IRDEB, Parque da Cidade, Largos e Praças do Pelourinho, Música no Porto,Bloco Afro Ilê Aiyê, trios elétricos Amor e Paixão, Soweto e Parada Gay de Salvador. Já dividiu palco com grandes nomes da MPB como Jair Rodrigues, Riachão, Rosa Passos, Nelson Rufino, Paula Lima, Sandra de Sá, Edil Pacheco,Jussara Silveira,Roberto Mendes, Tereza Cristina, Leci Brandão, Jota Veloso, Dudú Nobre,Neguinho da Beija-Flor, Ivan Lins entre outros.

QUERO COMPARTILHAR COM UM AMIGO
x
Envie por e-mail